Das nossas perdas...



Quando nascemos abarcamos toda a existência nas mãos, mas com o passar do tempo, parece que em certos momentos, as mãos tornam-se pequenas e escorregam-se coisas aqui e acolá.
Vamos perdendo sensações... emoções...
Vamos perdendo pessoas e sonhos.
Deixamo-nos ser invadidos por dores, mágoas, vazios, desilusões, saudades.
Vamos nos tornando tão pequenos quanto as nossas mãos.
Fica apenas a visão longínqua de que éramos grandes, mas foram tantos os naufrágios, que não há botes salva-vidas que nos resgate.
Tenho aceitado essas perdas, mas há tantas outras que nunca vou superar.
Aceito para que eu possa continuar a viver... para que meus olhos ainda possam brilhar de deslumbramento, porque a vida é uma dádiva e o agradecimento é o nosso resgate com tudo o que é DIVINO.

O UNIVERSO é imenso!
Ele é tudo o que nos envolve, mas ele também é humano e quase sempre enredado por seres desumanos.

Malu Silva




Comentários

  1. Difícil não é aceitar as perdas, mas sim, conviver com as ausências...
    (acho que li em algum lugar) Bem sabemos, que não é fácil encontrar
    um resgate em meio ao naufrágio, mas os incansáveis marinheiros,
    seguem nadando. Pois para eles importante é não se deixarem
    submergir pelas águas, mas continuar lutando contra as ondas...
    na certeza que por mais distante que estejam do cais, ainda hão
    de encontrar um porto seguro... E isso os impulsionam a não desistir.
    E quanto aos momentos, é fato que o mundo pode até tentar
    nos diminuir, mas se temos Deus, sempre seremos grandes...
    Fácil? Não. Mas, sigo acreditando... bjs flor... =)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Gosto quando você passa por aqui e deixa suas impressões...
Sempre que possível identifique-se para eu poder retornar!

Postagens mais visitadas deste blog

Eu, nas entrelinhas - ANÁLISE ÍNTIMA...

Carona...

Amor incauto...