Das nossas perdas...



Quando nascemos abarcamos toda a existência nas mãos, mas com o passar do tempo, parece que em certos momentos, as mãos tornam-se pequenas e escorregam-se coisas aqui e acolá.
Vamos perdendo sensações... emoções...
Vamos perdendo pessoas e sonhos.
Deixamo-nos ser invadidos por dores, mágoas, vazios, desilusões, saudades.
Vamos nos tornando tão pequenos quanto as nossas mãos.
Fica apenas a visão longínqua de que éramos grandes, mas foram tantos os naufrágios, que não há botes salva-vidas que nos resgate.
Tenho aceitado essas perdas, mas há tantas outras que nunca vou superar.
Aceito para que eu possa continuar a viver... para que meus olhos ainda possam brilhar de deslumbramento, porque a vida é uma dádiva e o agradecimento é o nosso resgate com tudo o que é DIVINO.

O UNIVERSO é imenso!
Ele é tudo o que nos envolve, mas ele também é humano e quase sempre enredado por seres desumanos.

Malu Silva




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Eu, nas entrelinhas - À FLOR DA PELE...

Eu, nas entrelinhas - O MELHOR DE MIM...

Eu, nas entrelinhas - ANÁLISE ÍNTIMA...